Como promover produtos ou serviços subjetivos?

Você trabalha com arte. Ou, então, é terapeuta integrativa. Ensina soft skills. E precisa vender tudo isso como se fosse um produto. E agora?

Vender serviços subjetivos, desses que não têm um resultado padrão, um tempo predeterminado ou mesmo uma entrega concreta, pode ser mais desafiador do que parece.

Muitas vezes, ter um produto específico, com suas descrições e materiais explicados, ameniza dúvidas, desconfianças e até o senso de necessidade do cliente. Mas como fazer, então, com aquilo que não pode ser tão mensurável?

Marca estruturada

A primeira coisa a pensar é na sua marca. É bem mais fácil uma pessoa comprar uma geladeira em um site não tão “confiável” do que contratar 4 sessões de terapia, por exemplo.

Nosso cérebro tem dificuldade de entender aquilo que não é óbvio e concreto, portanto, sua marca deve ser o contraponto de toda a subjetividade do serviço.

Aposte em um design bonito e alinhado com o que você oferece, uma escrita sempre correta e coerente, e especialmente em consistência. Seja no número de postagens, nas cores ou nas fontes, a consistência vai ajudar a sua marca a ser melhor interpretada.

Objetividade

Seu serviço não tem uma resposta concreta? Tudo bem. Diga isso ao seu cliente. Por exemplo: “você fará duas sessões de uma hora, que te ajudarão a compreender melhor a si mesmo”.

Isso é super subjetivo, mas ainda claro. É um alinhamento de expectativas e o direcionamento da responsabilidade para aquilo que o cliente precisa fazer.

Outro exemplo: quadro em tinta à óleo, chamado “O Amor”. A pintura não precisa de explicação. Mas saber que é um quadro, o tipo de tinta e o nome que o autor deu já contribui para a conexão do cliente com a peça.

Valor agregado

Se um cliente vai para a terapia, ele pode não saber quais resultados sairão desses encontros, mas ressaltar a fluidez no dia a dia, o equilíbrio mental e o acolhimento já mostra bastante valor agregado ao serviço.

Assim como na arte e na educação: pode ser a história pessoal do artista, a técnica, a autenticidade de um ambiente, o formato de uma aula. Encontre os benefícios secundários que seu serviço proporciona e traga todos à tona.

Ecossistema

Vincule-se a ideias, pessoas e marcas que estejam conectadas com seu trabalho. Essas iniciativas ajudam o cliente a perceber que tipo de objetivo você tem com seu trabalho.

Por exemplo: imaginemos um nutricionista. Ele pode fazer parceria com uma rede de fast food ou de um hortifruti orgânico. Cada uma dessas ações mostra um norteamento totalmente diferente do outro.

Filtrar quem representa bem aquilo que você oferece e se associar a isso faz toda a diferença na percepção do seu futuro cliente.

Prova social

Uma das táticas mais “fáceis” de aplicar. Você colhe depoimentos de clientes que estiveram na jornada de serviço com você e divulga de tempos em tempos em seus canais, para que outras pessoas saibam as variadas transformações e resultados que o seu trabalho gerou.

Uma pessoa pode dizer que você contribuiu com seu relacionamento. A outra pode dizer que você contribuiu com a carreira. E a outra pode dizer ainda que se sente melhor com sua autoestima. Cada um desses componentes vai fortalecendo a sua imagem sem que você tenha precisado prometer essas transformações todas, que podem variar de pessoa a pessoa.

Com verdade, consistência e cuidado, você consegue criar uma marca de autoridade e valorizar ainda mais seus serviços. Experimente!

E, se precisar de ajuda, fale com a gente. Vamos adorar te ajudar!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s